BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


sábado, 11 de abril de 2015

Explosões Atômicas há Mais de 4.000 Mil anos Atrás - Índia - Vale do Indo





No século XIX, especialistas ridicularizaram o alemão Heinrich Schliemann (1822-180) por seu método considerado amadorístico e ingênuo de buscar as minas micênicas da tal decantada cidade de Tróia a partir de relatos mitológicos da Ilíada, de Homero, primeiro grande poeta grego, que viveu há cerca de 3.500 anos. 


Mas foi justamente esse amador quem a encontrou. 
Imbuídos dessa mesma atitude rancorosa e materialista/pseudocética/ateísta, arqueólogos concluíram apressada e superficialmente que a maior civilização da Índia arcaica, Mohenjo-Daro, nome que significa o Monte dos Mortos, por ser considerada mal-assombrada, teria sido destruída por uma inundação.




Evidencias Arqueológicas claras provam que há mais de 4 mil anos atrás bombas atômicas  ou algo parecido, foi usado em Guerras misteriosas na Índia


                Ruínas do Local da Tragédia             


No século XIX, especialistas ridicularizaram o alemão Heinrich Schliemann (1822-180) por seu método considerado amadorístico e ingênuo de buscar as minas micênicas da tal decantada cidade de Tróia a partir de relatos mitológicos da Ilíada, de Homero, primeiro grande poeta grego, que viveu há cerca de 3.500 anos. Mas foi justamente esse amador quem a encontrou. Imbuídos dessa mesma atitude rancorosa e materialista/pseudocética/ateísta, arqueólogos concluíram apressada e superficialmente que a maior civilização da Índia arcaica, Mohenjo-Daro, nome que significa o Monte dos Mortos, por ser considerada mal-assombrada, teria sido destruída por uma inundação. Mas isso não explica absolutamente o que se achou ali. De fato, os arqueólogos responsáveis por esse sítio simplesmente varreram para debaixo do tapete as evidencias de algo que não se enquadra em uma explicação assim tão cômoda e simples.


Ruínas de Mohenjo-Daro

Mohenjo-Daro teria existido no Vale do Indo, atual Paquistão, e talvez a eterna rivalidade entre hindus e paquistaneses tenha feito com que se subestimasse a importância daquela civilização. Em 1978, um estudioso da língua escrita chamado David Davenport, cidadão britânico na Índia, juntamente com o redator Italiano Ettore Vicenti, procederam à uma releitura de clássicos como o Ramayana. Esse texto é o mais extenso escrito com mais de mil estrofes e integrando o confuso Mahabharata (Grande Índia em sânscrito) o grande épico hindu recheado de relatos de guerras e aventuras em épocas míticas, ditado por Krishna-Dwaipayana Vyasa, o compilador.


Os deuses brigavam entre eles no passado distante

Sua versão completa, incluindo O Bhagavad Gita, dataria do século VIII a.C. Certas passagens soam hoje bastante sugestivas, pois parecem fazer menção a artefatos bélicos; o valoroso Aswatthaman, resoluto, tocou a água e invocou o braço de Agneya (O fogo). Apontando para seus inimigos, disparou uma coluna explosiva que se abriram em todas as direções e causou fogo como luz sem fumaça, seguido de uma chuva de faíscas que cercaram o exército dos Partha completamente. Os quatro pontos cardeais se cobriram de cinzas, e um vento violento e mal começou a soprar. O sol parecia girar ao contrario, o universo parecia estar febril, os elefantes, aterrorizados, correram por suas vidas. "A água ferveu e os animais aquáticos demonstraram intenso sofrimento."

                     Flecha Inteligente                    

"Algumas centenas de estrofes mais a frente, O Mahabharata descreve os efeitos de outra arma, a Narayana: "Os guerreiros retiraram suas armaduras e os lavaram na água". Em épocas antigas, tudo isto poderia soar como meras metáforas, mas na era atômica nos faz pensar na destruição de Hiroshima e Nagasaki. "De fato, por incrível que possa parecer, há inúmeras descrições que nos remetem a alta tecnologia, o glossário de armas do Mahabharata compilado pelo ilustre sanscritista Hari Prasad Shastri menciona uma chamada Kamaruchi, a 'flecha inteligente', que ia aonde se queria que fosse e pode ser interpretada como um míssil teleguiado moderno.




Guerras antigas, com armas tipo modernas

E ainda O Murchchdhana, menciona uma arma que suspendia os sentidos humanos, um possível gás sonífero, algo do Nadana, que produzia alegria como o gás hilariante, e o bhabdavetiva, outra flecha, desta vez que seguia os sons e perseguia objetos ocultos, como os mísseis atuais que seguem ondas sonoras produzidas por aviões inimigos", descreve Davenport. Os textos hindus não cansam de mencionar os mais variados tipos de artefatos voadores. O termo sânscrito vimana, por exemplo, significa "ave artificial habitada". Os manuscritos de época as descrevem como máquinas voadoras cujo "interior não é nem demasiado quente, nem demasiado frio, moderado em qualquer estação do ano". Seriam as vimanas dotadas de ar-condicionado?


Davenport e Ettore encontraram no Ramayana passagens intrigantes, como a do capitulo 81 do Uttara Kanda, que relata a saga dos habitantes da cidade de Lanka, ou ilha, assim chamada porque se encontrava isolada pelas águas do Rio Indo. Os estudiosos concluíram, após longas pesquisas, que Lanka corresponderia à localização de Mohenjo-Daro, centro da arcaica civilização hindu de Harappa, composta de sete cidades, das quais Mohenjo-Daro seria a capital que floresceu até extinguir-se subitamente por volta de 2000 a.C. Certo dia, sua população recebeu um "aviso" de abandonar a cidade no prazo máximo de uma semana, após o que sobreviria uma "grande calamidade, de onde cairia fogo do céu", segundo os escritos. Essa passagem nos faz lembrar Sodoma e Gomorra, da Bíblia.Local da destruição Altos índices de radioatividade – Escavações arqueológicas, notadamente as britânicas, de há cerca de 30 ou 40 anos atrás, desenterraram com indícios perturbadores, como por exemplo, cadáveres que mostravam sinais de morte súbita e violenta sem que tenha havido luta ou sequer a mínima resistência.


Só foram encontrados 13 dos 43 esqueletos em toda a cidade, indicação do que quase toda a população fugiu deixando a maior parte de seus pertences. Foi encontrada a ossada do que pareceu uma família composta de pai, mãe e um menino que moravam juntos, de mãos dadas em plena rua. Permaneceram insepultos, tombados no chão. Esmagados por uma força inexplicável... Enquanto caminhavam calmamente. É evidente que o que os matou foi rápido, deixou os ossos calcinados. Dada a ausência de vulcões na área, isso torna inexplicável dentro dos moldes tradicionais. A conclusão de David Davenpot e Vincenti só poderia ser uma: destruição nuclear. As ruas pareciam ter sido varridas no momento da catástrofe. Objetos foram arremessados para os cantos e o epicentro da explosão ficou bem caracterizado.



Como sendo uma área coberta de detritos negros e restos de argila derretida e vitrificada. O Instituto de Mineralogia de Roma analisou algumas amostras e constatou que haviam sido expostas a temperaturas altíssimas, de cerca de 1.500° C, e o que é mais curioso: por apenas uma fração de segundo. Há, por exemplo, vasos fundidos de um lado e totalmente intactos do outro, indicando fusão incompleta. Excluiu-se totalmente a possibilidade de incêndio por fogo ou fornos convencionais, já que estes não teriam a capacidade de produzir tamanha diferença de temperatura em tão pouco tempo.


Guerra Nuclear Além disso, os danos verificados nas casas eram proporcionais a distância que se encontravam do epicentro da explosão. Aquelas situadas na área central foram calcinadas por completo, sem que restassem sequer suas paredes. A uma certa distância do epicentro, alguns muros ainda permaneceram de pé. Nos subúrbios da cidade ficaram intactas paredes altas de até três metros de altura. Indubitavelmente a explosão ocorreu no ar à uma considerável altura do solo. O epicentro mede aproximadamente 50 m de diâmetro, dentro do qual toda a matéria se encontra completamente cristalizada, fundida e estéril, apresentando até hoje altos índices de radioatividade. Hoje, os animais que vagueiam para região contornam prudentemente a área, negando-se a cruzá-la, daí a fama de cidade mal-assombrada.


A uns dez metros a partir do epicentro, os tijolos estão fundidos apenas de um lado, indicando a direção das chamas a partir do centro. Segundo Davenport, este é o evento descrito no Mahabharata: "A fumaça branca e quente mil vezes mais brilhante que o sol, ergueu-se em infinito brilho e reduziu a cidade a cinzas, a água ferveu, cavalos e carruagens pegaram fogo aos milhares, e os cadáveres que caíram estavam mutilados pelo horrendo calor até não mais serem reconhecíveis". Ainda no Mahabharata encontramos outra excelente descrição de algo que nos remete a uma guerra nuclear, a de que Arjuna recebeu uma "arma celeste que não pode ser usada contra seres humanos, pois poderia destruir o mundo todo", mas que deveria ser usada contra "aqueles que não seres humanos". Uma das melhores referências a um conflito atômico se encontra neste trecho: "Era um único projétil, detendo em si toda a força do universo. Uma coluna incandescente de fumaça e fogo, com o brilho de mil sois, erguendo-se em seu esplendor. Uma arma desconhecida, um trovão de ferro, gigantesco mensageiro da morte, que reduziu a cinzas toda a raça dos Vrishnis e dos Andhakas. Seus cadáveres estavam tão queimados que ficaram irreconhecíveis. As unhas e os cabelos caíram. Os potes se quebraram sem causa aparente, e as aves ficaram brancas. Em poucas horas toda a comida estava envenenada. E para escapar do fogo, os soldados se atiraram nos riachos para lavar a si mesmos e a seus equipamentos."



O pesquisador alemão Dr. Gerhard R. Steinhiiuser em seu livro o Herdeiro dos Astronautas (Artenova, 1970), relata outra passagem do Ramayana igualmente significativa: "Quando o deus Rama foi ameaçado por um exército de macacos, ele colocou sua flecha mágica em ação. Esta produziu um trovão luminoso, mais forte que o calor de mil sois, transformando tudo em cinzas. Os cabelos dos sobreviventes caíram, suas unhas se desintegraram". A hipótese de destruição nuclear é reforçada pelas lendas colhidas entre os atuais habitantes do local. Eles contam que o "Grande Senhor do Céu, enfurecido com os habitantes daquela cidade, hoje um deserto imprestável, destruiu-a com uma luz que brilhou como mil sois e que ressoou por muitas milhas de distância". A população acredita que aquele que se atrever a percorrer aquele solo amaldiçoado será assaltado pelos maus espíritos e venha a morrer logo - talvez venham mesmo, mas pela radiação ainda existente ali. No trecho a seguir encontra-se em uma das mais velhas crônicas difundidas, o livro Estâncias de Dzyan, pergaminhos antigos de origem tibetana que conteriam registros de toda a evolução da humanidade em uma língua desconhecida denominada Senzar: "



A separação não trouxe paz para esses povos e sua ira alcançou um ponto tal que o governante da cidade original levou consigo um número de guerreiros e eles se elevaram nos céus em uma grande nave metálica brilhante. À medida que perceberam que uma grande liga de seus inimigos estava ali presente, eles arremessaram uma lança brilhante que se assentava em um raio de luz que incendiou parte da cidade inimiga em uma grande bola de fogo que se lançou aos céus, alcançando as estrelas. Todos que estavam na cidade queimaram-se horrivelmente, e os que não estavam dentro, porem próximos, queimaram-se também. E aqueles que olharam para a lança de fogo ficaram cegos para sempre. E os que entraram na cidade a pé, adoeceram e morreram, e até pó dessa cidade fez-se venenoso, bem como os rios que cruzavam a cidade. Ninguém se atreveu a voltar ali, e gradualmente à cidade tomou-se poeira e foi esquecida pelos homens".


                          Poderes Secretos                          


Davenport e Ettore admitem que as máquinas voadoras e artefatos nucleares não condizem com o nível tecnológico alcançado por aquele povo ou qualquer outro da antiguidade. Por isso mesmo, Davenport especula que o "Senhor do Céu" veio de algum outro lugar, agindo como agiram os colonizadores da Idade Moderna, com brutalidade e truculência. "Talvez Mohenjo-Daro tenha sido vítima de uma punição exemplar, intencionalmente infligida por meio do despejo de uma bomba atômica". Catedráticos riem dessa possibilidade, afeitos aos fundamentos da arqueologia convencional, preferindo teimar na insustentável e cômica hipótese da inundação. Alguns cientistas sugeriram que Mohenjo-Daro pudesse ter sido atingida por um meteoro, o que explicaria a fusão das pedras de cerâmica e os corpos calcinados. Mas isso não explicaria porque a cidade foi evacuada imediatamente antes do impacto, os animais foram abandonados e até mesas postas foram deixadas para trás. Tudo isto invalida a hipótese de meteoro, pois não teria havido tempo para uma evacuação prévia em massa. No século II a.C., o grande imperador budista Ashoka recebeu nove livros escritos por seus sábios que descreviam essas armas espetaculares e avançavam por anos outros domínios da ciência.



Porém, coma Ashoka se opunha fortemente a guerra, ordenou que tais textos fossem destruídos, evitando assim seu mau uso no futuro. Sabe-se apenas que certas passagens mencionariam coisas como a laghima, o poder de vencer a gravidade girando-se em sentido oposto aquele da mesma, e os astros, naves voadoras e seus poderes de invisibilidade e destruição. Ou ainda o garima, o poder de alterar o peso dos objetos, e talvez a sua relação espaço-tempo. Embora Ashoka tenha ordenado a destruição desses livros, parece que os monges tibetanos ainda o possuem, pelo menos em parte, e graças aos ensinamentos neles contidos são capazes de fazer levitar rochas em cerimoniais musicais proibidas aos leigos. De fato, é uma crença comum entre os hindus a idéia de que os antigos possuíam inúmeros poderes secretos, ou Siddhis, que hoje se restringem aos iluminados ou que se perderam por completo, devido à degeneração do antigo conhecimento. Seja como for, os restos de Mohenjo-Daro sobreviveram como uma forte evidência de que algo realmente estranho e inusitado aconteceu ali, algo que a arqueologia oficial insiste em negar, algo que vai de encontro à crença normalmente aceita de uma linearidade no desenvolvimento da civilização nos moldes da ciência ocidental [leia-se pseudociência materialista ocidental]




Uma lápide de pedra egípcia mostra explicitamente modelos diferentes de aeronaves que possivelmente foram utilizadas na antiguidade.



A ilustração faz a comparação de uma placa cuneiforme suméria e um artefato nuclear moderno usado na época da segunda guerra mundial.  

No passado misterioso os "deuses" guerrearam, e para isso usaram de armamentos tipos modernos

    Mohenjo Daro e Harappa - Vale do Indo - Explosões Atômicas há mais de 4.000 Mil anos: 







O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 11 - INTENSAMENTE EXPLÍCITO






"Aquele que diz uma mentira não calcula a pesada carga que põe em cima de si, pois terá de inventar uma infinidade delas para sustentar a primeira"
(Alexander Pope)

Assim como vimos na nossa página anterior, estariam infiltradas entre nós criaturas réplicas da espécie humana, porém não humanas! Em determinadas circunstâncias elas revelariam a sua verdadeira natureza, tal como foi o caso desse agente de segurança do Presidente dos EUA que, em um evento, teve a sua identidade alienígena revelada durante as transformações que ocorreram no seu rosto. O que mais chamou a nossa atenção, foram as suas nítidas protuberâncias cranianas, ocasião em que fizemos uma comparação com....


.... ISTO! São quatro os tipos dos famigerados aliens da tipologia gray - ROBÔS BIOLÓGICOS, criações genéticas dos não menos famigerados reptilianos. Esse tipo da foto, mantido em uma base norte-americana denominada G13, é o tipo "alto". Chama a atenção as suas pronunciadas protuberâncias cranianas que lembram chifres....


.... Faz sentido, pois agora começamos a entender o porquê que desde os mais remotos tempos as tradições religiosas e históricas sempre demonstraram e retrataram aquilo que chamamos de DEMÔNIOS, sempre COM CHIFRES! Essas pragas dos grays sempre assolou a humanidade e tanto eles, quanto os seus mestres e criadores reptilianos, foram precisamente aquilo que os livros religiosos, assim como várias outras tradições, chamam de OS ANJOS DECAÍDOS - os responsáveis pela queda da humanidade e do homem, e que até os dias atuais continuam agindo e aqui infiltrados!...


E desde as mais remotas eras, seres humanos ambiciosos conjuraram e mantiveram espúrios contatos com essas nefastas criaturas, literalmente vendendo a própria alma e os seus semelhantes em troca de alguns benefícios de caráter duvidoso. JOHN DEE, 1527-1600, por exemplo, famoso "magista" britânico, foi um deles. Matemático, astrônomo, astrólogo, geógrafo e, notadamente, praticante de ciências ocultas evocando "espíritos" - anjos, demônios e ALIENS. E isso nada tem de magia: é traição e conspíração mesmo!...


... Aliás, John Dee foi o responsável pela coroação da da rainha Elizabeth I, da - vejam só - Inglaterra, e da qual se tornou "conselheiro particular". O que teria sido mais uma interferência dos aliens nos destinos do nosso planeta, sempre fazendo uso dos seus "instrumentos" aqui cooptados para subjugarem a humanidade...


Invariavelmente, todos os grandes tiranos do planeta, aqueles que ambicionavam se tornarem "os reis do mundo", espalharam um rastro de destruição e morte através dos tempos na busca dos seus loucos sonhos e delírios de conquistas. Parece até que foram literalmente comandados por inteligências espúrias. Na verdade teriam sido SIM! Napoleão Bonaparte, Imperador Francês, teve os seus restos mortais exumados e no interior do seu crânio foi encontrado um CHIP - evidentemente de natureza alienígena, uma vez que tal coisa não existia na sua época. Pela primeira vez os Cientistas reconheceram que pode se tratar de um implante alienígena e que o imperador francês possa ter sido vítima de uma abdução por um UFO! O Dr. Andre Dubois, um desses Cientistas, tacitamente declarou que as possíveis ramificações dessa descoberta são imensas para serem totalmente compreendidas. E, ainda, numa publicação em um jornal de Medicina francês acrescentou: - "Até agora todas as indicações das vítimas de abduções eram de gente comum, que não tomam parte nos eventos mundiais. Agora temos evidências conclusivas que extraterrestres atuaram no passado para influenciar a história humana - e ainda continuam fazendo“.


Uma influência negativa, sem qualquer dúvida! Continuaram fazendo através da História, sempre nos bastidores, insidiosamente - explorando a ganância e a ambição humana de modo a gradualmente promoverem a nossa própria destruição! Acordos espúrios e danosos à espécie humana sempre foram estabelecidos com muitos déspotas que ambicionavam dominar o mundo. Em troca do fornecimento de tecnologia, notadamente a bélica, a humanidade caminha aos tropeções para o caos final....


.... Pois, faz parte dos planos dessas abomináveis criaturas se livrarem da nossa humanidade de modo a herdarem a Terra. E os déspotas de hoje continuam mordendo a isca!


REVELAÇÃO ALIENÍGENA: VETERANO DOS EUA DENUNCIA: OS MILITARES AMERICANOS TÊM TRABALHADO COM ALIENS....


.... Mais um que resolveu abrir a boca e denunciar: Charles Hall, Físico Nuclear, que trabalhou junto ao Governo dos EUA em instalações militares acaba de revelar em uma entrevista à TV Australiana uma coisa que todo mundo já sabia e que várias denúncias já divulgavam: entidades alienígenas trabalham em conjunto com as Forças Armadas dos EUA!


... E, em contrapartida, que essas pragas andam aqui por baixo furtivamente espreitando, seqüestrando, matando e mutilando também não resta a menor dúvida. Uma câmera de monitoramento do quarto de uma senhora idosa na Austrália revelou através da vidraça uma presença inquietante...


.... Sem qualquer dúvida, um humanóide gray à caça de uma nova vítima!


E que esses seres nefastos estão aqui infiltrados e agindo há bastante tempo não é novidade alguma! As suas naves podem viajar no tempo, no espaço e nas dimensões! Por isso, podem figurativamente, ou talvez apropriadamente, ser chamados de demônios - demônios dimensionais inimigos da espécie humana! E em vários lugares encontramos as "marcas de propriedade" deles. Em Santa Cruz, na Califórnia, uma estranha rocha denominada "A Pedra da Lua" se torna intensamente explícita nesse particular....


... Onde a típica face de um humanóide gray se faz presente, ladeada por estranhas inscrições. Quando, e quem fez isso? Não se sabe!


Nessa foto, tomada em órbita da Terra, pelo Ônibus Espacial Discover pouco antes da sua desativação, alguma coisa inusitada estava presente no espaço...


.... Uma estranha imagem que lembrava a forma de uma SERPENTE....


.... Não era um UFO. Parecia uma projeção holográfica....


.... Nitidamente representando a "marca", o símbolo dos REPTILIANOS - também conhecidos na antigüidade como os "Seres Serpentes"....


.... Uma projeção holográfica? Podia até ser, mas nesse caso vinda de ONDE? Uma "marca" de domínio e de propriedade sobre o nosso planeta?


... Pois, não é novidade alguma que os UFOs, tripulados por essas criaturas circulam aberta e ostensivamente sobre o nosso planeta. E as fotos oficiais da própria NASA assim o atestam. Assim, pode ser que a Terra não seja mais nossa, no estrito senso da palavra.


A NASA, como lhe é peculiar, sempre silencia em relação a esses temas extremamente "indigestos" e embaraçosos, porém a verdade - mais dia, menos dia, sempre vem à tona - quer eles queiram, ou não. A NASA inclusive sabe muito bem que satélites NÃO TERRESTRES orbitam o nosso planeta - e isso há muito tempo! Essa recente notícia revela que desde 1991 a NASA já detectava uma sonda alienígena espreitando o nosso mundo (FOTO), a qual partiu e está prevista para retornar em 2016! Essa coisa, origem de um relatório secreto da NASA e batizada de 1991-VG, cujo tamanho era cerca de 10 metros, foi relatada como dotada de uma rota heliocêntrica rente ao nosso planeta. Emitia flutuações luminosas e seus precisos movimentos permitiram concluir que se tratava de um objeto criado por seres inteligentes, provavelmente nos observando. A NASA espera o seu retorno para 2016 - o que significa que o vem rastreando com muita precisão e, portanto, talvez saiba a sua origem!


Da mesma forma que fotos oficiais da NASA revelam no espaço ao redor da Terra a presença cada vez mais freqüente das chamadas "Bestas Atmosféricas - criaturas aparentemente vivas e dimensionais, advindas de uma outra dimensão e penetrando na NOSSA! Que alguma coisa está acontecendo lá em cima, não nos resta a menor dúvida! Mas o quê exatamente?


... "Alguma coisa" que pode estar diretamente relacionada a ISSO: - um astro intruso, já presente no nosso Sistema Solar e claramente discernido nas imagens da própria NASA, a qual, mesmo diante dessas gritantes evidências continua negando!....


.... A verdade é que, seja lá o isso possa ser, tem muita gente denunciando. Acima, a notícia estampa que dados científicos revelam que alguma coisa anômala está vindo em nossa direção desde as Constelações de Leão e Virgem, em oposição ao Sol....


.... E aqui, numa imagem do SOHO. tomada em 25 de março de 2013, alguma coisa obscura se situa entre o Sol e a Terra. Pelo sim, pelo não, e até que nos provem o contrário, TEM MESMO ALGUMA COISA LÁ!...


... Porém, a NASA somente não explica COMO, em várias partes do mundo, essa coisa já está sendo vista, filmada e fotografada! E a tal coisa é realmente grande, não tem mesmo mais como esconder....


DOIS SÓIS NA CROÁCIA, EM 22 MARÇO DE 2013 - Não é, pois, possível que as pessoas estejam vendo as mesmas coisas em diferentes pontos do planeta. Só que essa coisa não é propriamente um "segundo sol", mas sim, e muito possivelmente, um astro intruso que a cada 3.600 anos perfaz uma órbita elíptica e cruza o nosso Sistema Solar. As antigas civilizações que nos precederam o conheciam muito bem - e principalmente o temiam! Pois sabiam que a sua rota de cruzamento pode acarretar muitos problemas, não somente ao Sistema Solar como um todo, mas notadamente em relação à TERRA!....


.... Isso não significa um risco de colisão contra o nosso planeta, uma vez que a rota de deslocamento desse astro é compreendida entre Marte e Júpiter, precisamente onde se situa o Cinturão de Asteróides - o que os Antigos afirmavam ser o resto de um planeta ali situado (TIAMAT) que fora destruído por ocasião de uma das passagens desse astro errante, o qual chamavam de NIBIRU. Todavia, o risco para a Terra durante o próximo cruzamento (esperado entre 2012/2014), é representado por severas convulsões geológicas, terremotos, tsunamis, inundações e demais alterações da Natureza como um todo, e.... Uma possível chuva de meteoros e meteoritos que pode atingir o nosso planeta de modo violento e avassalador, com conseqüências imprevisíveis!....


.... E como sempre camuflando verdades, não é agora, em março de 2013, a NASA, na pessoa do seu próprio Diretor, se saiu com esse muito "reconfortante" conselho à humanidade? "REZEM", relativamente a uma aproximação de asteróides! O que eles estão sabendo e escondendo da humanidade mais uma vez?


Por outro lado, o que deu na Mídia, sempre avessa em abordar temas tão melindrosos como esse para, repentinamente, tornar público aquilo que nós, os chamados Teóricos da Conspiração", há muito já vínhamos denunciando? Este é mais um segredo da NASA, do seu Governo, como também de outros demais governos e de vários meios científicos, os quais há muito já sabem que coisa tende a "esquentar" a partir de 2013, quando é esperado um novo Pico Solar Máximo, dessa feita o maior de todos que poderá literalmente nos conduzir de volta à Idade da Pedra - sem água, sem energia elétrica, sem comunicações, sem transportes e sem alimentos - e por um período estimado em cerca de 10 anos - enfim, o caos total! O nosso Sol está totalmente abalado no seu equilíbrio - e alguma coisa lá por cima piora isso. Ejeções da sua massa coronal, cada vez mais fortes e mais violentas, afetam perigosamente a magnetosfera do nosso planeta - já muito enfraquecida - e se acaso ocorrer o que a NASA chama de THE BIG ONE ("O Maior de Todos") pode ser o Réquiem para nossa civilização. Enfim, é tudo mesmo conforme sempre afirmamos: - quando eles (que sempre esconderam) começam a avisar, é sempre um mau sinal.


E desde que os poderoso da Terra, a chamada elite global e várias "personalidades" da política, dos meios governamentais e militares (em conluio com alienígenas) sempre dotados de informações privilegiadas, estão já com os seus bunkers subterrâneos de sobrevivência devidamente prontos e os esperando, para eles pouco importa que nós, os excluídos, "fritemos" aqui por cima em meio ao caos. Aliás, isso seria muito conveniente aos seus sujos planos de dominação global. Esses abrigos, totalmente auto-suficientes, podem resistir a tudo aquilo que vier a ocorrer na superfície por um período de sete anos! Enfim, quando a coisa acalmar, eles planejam triunfalmente sair desses abrigos e herdar todo o planeta, subjugando os fragilizados e eventuais sobreviventes - se é que os haverão.


.... O que, aliás, não seria novidade alguma. Coisas escondidas fazem parte do jogo. Certas fotos proibidas estampam verdades extremamente incômodas - como, por exemplo, esta - obtida pelo módulo Opportunity no solo de Marte. Na qual, ao longe, podemos ver algo inusitado....


.... Precisamente ISTO! E ainda teve gente dizendo que seria um "anjo" no solo de Marte. Anjo coisa nenhuma! Era mesmo uma criatura alienígena - e ao fundo podemos ver o que seria um UFO, ou então um veículo de transporte!


... Faz parte do jogo! Também na Lua a maquiagem de fotos comprometedoras era coisa bastante usual nos bastidores da NASA. Esse foto, por exemplo, nos mostra um Astronauta examinado os restos fossilizados de uma enorme máquina alienígena. A maquiagem maior, todavia, aconteceu bem ao fundo da cena, onde uma "parede" falsa foi criada de modo a esconder uma possível edificação alienígena!


.... Uma outra foto proibida nos mostra no solo da Lua um estranho veículo, possivelmente uma máquina voadora, uma astronave, acidentado e ali abandonado. Isso não é tecnologia terrestre. Então, QUEM abandonou isso ali?


Na verdade, as revelações surgem cada vez mais. Coisas estranhas estão acontecendo. O próprio céu produz fenômenos inusitados. Nas imagens acima, a tripulação de um avião que se preparava para pousar em um aeroporto do Texas, EUA, fotografou uma estranha anomalia sobre a cabeceira da pista. Não era um nuvem. O que poderia ser, então?


.... Da mesma forma que continua nos céus do nosso planeta um inusitado "tráfego aéreo" de estranhas naves cilíndricas, totalmente diferentes dos tradicionais UFOs discóides que desde muito nos assolam....


.... E esse ostensivo e desafiador tráfego aéreo se dá preferencialmente nos países que se julgam os senhores dos destinos do planeta, muitos dos quais mantêm acordos de cooperação mútua com entidades grays e reptilianas aqui infiltradas. Esse da foto, por exemplo, sobrevoava ostensivamente o espaço aéreo da Rússia, em março de 2013, para logo depois disparar pelo céu em estupenda velocidade.


.... Simultaneamente, UFOs continuam sendo abatidos e caindo dos céus como moscas. O recente caso acima é bastante expressivo: - "objeto misterioso" cai do céu cambaleando e em chamas, na Índia, e os seus fragmentos chegaram a ferir duas mulheres, sem gravidade. Especialistas dizem que NÃO ERA UM METEORO. E se não era um meteoro, o que era, então? A resposta nos parece bem simples; - OPERAÇÃO LIMPEZA LÁ POR CIMA! Tem gente diferente, com naves diferentes, fazendo JUSTIÇA contra os inimigos da humanidade. É tudo o que as evidências parecem nos indicar - enfim, é tudo aquilo que esperamos que se cumpra e que, por fim, Assim Seja!







Total de visualizações de página

Página FaceBook