BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


quinta-feira, 6 de agosto de 2015

O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 232 ZONAS PROIBIDAS



"No correr dos tempos, inúmeros historiadores se debruçaram sobre o enigma do continente submergido, buscando nos vestígios arqueológicos o traço dos homens que povoaram essas terras fabulosas. 

Sua pesquisa não foi sempre coroada de êxito, mas permitiu contudo reunir uma importante série de elementos díspares que, hoje, se encaixam uns nos outros, como as peças de um quebra-cabeças cuja imagem final começa a revelar-se" (Guy Tarade - As Portas da Atlântida)



Um dos nosso estimados visitantes, pesquisando aeroportos nas fotos por satélite do Google Earth, deparou-se, aqui mesmo no Brasil, com essa surpreendente imagem a qual gentilmente nos enviou: repare naquilo que a pista de um aeroporto danificou sem que ninguém tivesse dado conta do que se estavam inadvertidamente destruindo!!!..... (FOTO: © DigitalGlobe/Europa Technologies/Google)


.... Sim, você viu bem! UM COLOSSAL E ALÉM DE TUDO ESTRANHO ROSTO, DOTADO DE CAPACETE, FITANDO O ESPAÇO SIDERAL! E não há qualquer tipo de engano. Comprove no negativo, à direita. Aliás, como você que nos acompanha já deve estar cansado de ver nessas nossas páginas, esse tipo de monumento - ou, se preferirmos, uma imemorial mensagem para o espaço - não é decididamente o único. Todo o nosso planeta está repleto disso. Mas QUEM os teria produzido, com QUAL tipo de avançada tecnologia e, muito principalmente, QUANDO?


Na foto Edgard Cayce, "O Profeta Adormecido", um moderno vidente somente comparável a Michel de Nostradamus! Possuidor de um raro dom, Cayce entrave em transe e respondia às perguntas que lhe eram formuladas. Como se pudesse nessas ocasiões viajar no tempo, ele visualizava e descrevia com absoluta clareza e precisão os acontecimentos futuros. Assim foi quando previu vários acontecimentos históricos, dentre os quais a eclosão da Segunda Guerra Mundial. Contudo, em 1941 uma das suas clarividências mais notáveis foi relativa ao perdido continente da Atlântida. Cayce descreveu a tragédia que abalou aquela prodigiosa civilização, a existência das suas colônias espalhadas pela Terra, como também revelou que seus sábios deixaram para a posteridade, e espalhadas pelo mundo, verdadeiras "Cápsulas do Tempo", registros históricos do perdido esplendor da sua cultura, bem como alguns exemplares da sua fantástica tecnologia.


Cayce revelou que sob as patas da Esfinge de Gizé, existiria uma dessas Cápsulas atlantes! Aliado a isso, a Antiga Tradição nos diz a mesma coisa, isto é, que a Atlântida deixou três dessas cápsulas antes de vir a desaparecer do cenário terrestre: uma delas no Tibete, a outra na América do Sul e a última delas no Egito.


Aqui vemos uma imagem do fantástico complexo interior da Grande Pirâmide de Gizé - uma portentosa construção cuja verdadeira idade é desconhecida e que rivaliza com as nossas modernas Arquitetura e Engenharia - também segundo Cayce um monumento ATLANTE. Aliás, não poderia ser de outra forma: erguendo-se a uma altura de quase 147 metros, além de encerrar precisos registros e elevados conhecimentos matemáticos e astronômicos, a sua arquitetura mesmo hoje não poderia ser imitada pela nossa moderna Engenharia. Mais de dois milhões e seiscentos blocos de pedra, cuidadosamente talhados e encaixados com absoluta precisão, formam uma colossal rede de túneis e galerias, ainda não de todo mapeadas e devidamente exploradas!


E as provas de que essa perdida cultura se espalhara pelo mundo todo estão presentes nas nossas mais intrigantes ruínas. Os pesquisadores William Fix e Hanni El Zeine há muito já tinham notado a extraordinária semelhança entre os estranhos e inusitados cortes em blocos de pedra existente em algumas ruínas espalhadas pelo planeta. Da esquerda para a direita, vemos blocos rochosos estranhamente talhados em ângulos, situados nas ruínas de Macchu Pichu (Peru), Abydos (Egito), e Gizé (também no Egito). Uma "coincidência" simplesmente chocante, onde todas as evidências provam que não podem haver coincidências!


Mas não é só isso! Além das revelações de Cayce, desde a mais remota antigüidade os tradicionais registros igualmente nos mostram com extrema clareza tudo aquilo que se esconde por detrás da misteriosa região de Gizé. Assim, por exemplo, sabe-se que por baixo da Esfinge se estenderia uma complexa rede de câmaras, galerias e túneis secretos interligando-a às três pirâmides próximas, fato considerado como "meras lendas" pela Arqueologia mais ortodoxa e pelos setores mais céticos e comodistas.


Também antigos mapas cuja origem se perde na noite dos tempos, foram devidamente copiados e atravessaram as eras, assim revelando que, de fato, haveria algo de bastante errado e falso com o tradicional rótulo de "lendas", tão caro aos céticos e aos negadores.


São mapas muito bem elaborados que comprovam a real existência desse maravilhoso complexo, o qual somente poderia mesmo se tratar de uma obra realizada por uma evoluída civilização do desconhecido passado terrestre. Aqui não existem meios-termos: construções desse porte e magnitude forçosamente implicam em..... TECNOLOGIA PURA!


Portanto, honestamente não se pode negar a antiga presença dessa prodigiosa cultura, cuja existência, segundo as visões de Cayce, será devidamente comprovada no momento oportuno, assim que chegar a hora e os tempos se fizerem maduros. Antes disso, todavia, cientistas japoneses da Universidade Waseda, bem como algumas outras recentes pesquisas permitiram concluir que COMPROVADAMENTE existem muito mais coisas do que se pensava por baixo da Esfinge, tais como: inúmeras cavidades, muitas outras delas se estendendo de Norte a Sul, como também um grande túnel ao sul da Grande Pirâmide!


E ainda tem mais! Assim como acontece com a Grande Pirâmide - uma obra cômoda e erroneamente atribuída ao faraó Queóps - a antigüidade da Esfinge é comprovada pelo seu posicionamento e formato diretamente idêntico e convergindo para a Constelação de Leão, o Sol Zodiacal e Coração do Céu, exatamente quando da sua posição há 12.500 ANOS ATRÁS, uma época que plenamente coincide com a submersão da Atlântida!


Mas, no momento, quaisquer tentativas no sentido de realizar escavações ou pesquisas arqueológicas em Gizé, esbarram na ferrenha negativa do Governo Egípcio, que chegou até mesmo a revogar as permissões e os vistos de permanência de alguns arqueólogos interessados no local. Dessa forma, grades cercam especialmente a enigmática Esfinge. E quer saber o porquê? PORQUE, segundo Cayce previra e descrevera como "A Sala dos Registros", FOI COMPROVADA, ATRAVÉS DE MEDIÇÕES COM O GPR (Radar de Penetração Subterrânea), QUE SOB A PATA ESQUERDA DA ESFINGE EXISTE MESMO UMA CÂMARA SECRETA, REPLETA DE OBJETOS NÃO IDENTIFICADOS, e além disso dotados de grande ressonância metálica!!! Segundo revelações de um jornalista credenciado, não só as visões de Cayce estavam absolutamente corretas, como também o Governo Egípcio estaria envolvido em uma grande conspiração de silêncio assim impedindo a divulgação dessa sensacional descoberta. Aliás, aquele Governo expressamente ordenou aos seus jornalistas manter absolutamente confidencial tal revelação! O Dr. Joseph Schor, contudo, antes mesmo dessa proibição teve a oportunidade de encontrar sob a Esfinge um outro compartimento contendo registros históricos que puderam ser decifrados e descreviam a saga de ATUM, "AQUELE QUE CHEGARA DO CÉU", como também relatos sobre a CIVILIZAÇÃO DE ATLÂNTIDA, ou "ALTEA"!!! Dizem as "boas línguas" (estas bem mais ferinas do que as chamadas "más línguas") que o interesse do Governo Egípcio em se negar a admitir tais realidades e assim ocultar essas descobertas, estaria baseado na sua firme disposição em atribuir a construção desses monumentos aos antepassados nativos do seu povo, rejeitado dessa forma qualquer interferência externa, tenha vindo ela de onde quer que possa ter vindo.....


..... Um argumento inconsistente, uma vez que as pirâmides - SEMPRE construídas mediante orientações celestes, muitas delas igualmente dotadas de imensas dimensões - estão espalhadas pelo mais diversos locais do planeta, logicamente não tendo sido construídas pelos antigos egípcios, o que prova definitivamente uma espécie de "marca registrada", uma afiliação por assim dizer, demarcando antigas colônias de uma outra altamente evoluída cultura que habitara a terra em épocas distantes e lamentavelmente esquecidas! Acima, encontramos formações piramidais, juntamente com enigmáticas ruínas, até mesmo na distante Mongólia. (FOTO: R. Habeck)


Tradicionalmente, as pirâmides, assim como a imagem da Esfinge, são simbolismos ESSENCIALMENTE ATLANTES. Simbolismos mágicos e místicos que comprovam a ligação existente entre a Terra e o Céu, muito provavelmente entre o nosso mundo e outros mundos espalhados pelo Universo. Dizem também respeito às existências de maravilhosas civilizações que nos precederam e se extinguiram, deixando contudo as marcas da sua passagem por quase todos os quadrantes deste nosso pequeno porém muito misterioso planeta!


"É TUDO MENTIRA" , dizia o título de uma reportagem publicada na Edição de domingo, 01 de abril de 2007, em um suplemento do Jornal O GLOBO, do Rio de Janeiro. A matéria versava sobre lendas e mitos urbanas e tentava desmenti-los. E a "mentira" de número 3 você pode ver acima, precisamente contestando o colossal monumento granítico situada na mesma cidade no topo da Pedra da Gávea, a 847 metros de altitude. Como se pode notar, a opinião corrente entre alguns arqueólogos é a mesma de sempre: "erosão"! Mas será mesmo? A Arqueóloga consultada pelo Jornal - cujo nome omitimos de modo a manter a sua privacidade - não fugiu à regra, contestando a tese abraçada por alguns setores de que ali estaria situado um "monumento fenício", fruto de uma suposta e antiga navegação daquele povo comerciante para onde hoje se situa o atual território do Brasil.....


.... No que, com a devida vênia e com respeito ao seu ponto de vista, concordamos, mas somente em parte, com a sua opinião. Em primeiro lugar, fenícios não ergueriam tal imenso monumento àquela altitude. E se esse fosse o caso, a pergunta inevitável que surgiria seria esta: - MEDIANTE QUAL FERRAMENTAL E QUAL TIPO DE TECNOLOGIA, ainda mais em um liso paredão de quase noventa graus e à beira de um enregelante abismo? Em segundo lugar, quem já esteve lá por cima - assim como nós já o fizemos por três vezes arriscando a própria vida - e até mesmo aqueles que contemplam ao longe tal colosso, jamais poderiam admitir que se trate mesmo de um mero trabalho erosivo. E nesse particular, os detalhes do rosto são simplesmente chocantes, nada foi esquecido. Aliás, a foto acima torna-se altamente explícita nesse sentido. Em terceiro lugar, não conhecemos qualquer tipo de erosão capaz de gravar imensas cintas de inscrições desconhecidas, as quais também nessa imagem podem ser vistas - bem na lateral do severo rosto de granito. Repare, também, no alto da cabeça de pedra, um ornato como se fosse um disco solar encimando uma espécie de capacete.....


..... Finalmente, observe com bastante atenção a foto acima, bem como o seu correspondente negativo. O que você vê? Note o seu claro formato de esfinge e, bem na extremidade esquerda, a existência de uma cauda e até mesmo de uma pata! E sua antigüidade é tanta que há muitas décadas o rabo, do qual podemos até mesmo ver o seu antigo encaixe circular, despencou montanha abaixo, no que, aí sim, concordamos, ter sido por obra da erosão verificada por, quem sabe, incontáveis milênios. O que importa é que aqui - mais uma vez, e assim como acontece em várias outras partes do mundo - o elevado simbolismo da Esfinge se faz presente. Em suma, apenas mais um monumento de uma desconhecida civilização a qual, muito evidentemente, dispunha de elevada tecnologia para realizar um trabalho dessa magnitude e desse porte ainda mais em tal altitude. Todas as evidências não mentem e somente não as enxerga quem não deseja vê-las. E você, nesse caso especificamente, concordaria com o título da citada reportagem: "É TUDO MENTIRA"? Acreditamos que não. Além disso, o fato de que uma misteriosa civilização desconhecida em épocas muito recuadas e esquecidas esteve presente no atual território brasileiro não pode honestamente ser negado.


E nesse particular, vale sempre a pena rever a imagem do Morro do Pão de Açúcar, ainda na Cidade do Rio de Janeiro. Nas mansas águas da Baía de Guanabra e fitando a imensidão do Oceano Atlântico, eis aqui uma outra enorme formação montanhosa sob o formato leonino - em outras palavras, uma outra ESFINGE! E nada podia ser mais perfeito: além do seu claro formato, temos ainda a imensa imagem de um pássaro gravado em quase toda a extensão do seu liso paredão com mais de 700 metros de altura! No seu topo, o famoso "Rosto do Faráo", e na sua região anterior um enorme triângulo estampado na rocha - ambos, por sinal, bem visíveis na imagem acima. Para completar, as garras da Esfinge avançam sobre o mar e diversos mergulhadores já detectaram estranhas inscrições submersas nelas gravadas. Seria isso também um "trabalho da erosão"? Temos as nossas dúvidas. E você?


E a civilização responsável por tudo isso, tendo se espalhado pelo mundo deixando as suas marcas, e que teria estado até mesmo no atual território do Brasil, bem poderia ter sido a da perdida Atlântida! Meras lendas ou especulações destituídas de quaisquer fundamentos? O tempo dirá! Pois, não somente Cayce revelou, como também antigas Escolas de Mistérios autênticas (essas detentoras de um conhecimento oculto e absolutamente verdadeiro), sabem que no momento oportuno, e diante dos olhos estupefatos da humanidade, a existência da Atlântida será devidamente revelada. Cayce, por sinal, já previra que algumas das ruínas desse perdido continente seriam descobertas na região do Atlântico atualmente denominada de Triângulo das Bermudas, o que veio realmente a acontecer desde o ano de 1968 quando as colossais estruturas submersas de Bimini foram descobertas por arqueólogos e mergulhadores. Recentemente, a previsão de que uma certa região do Oceano Atlântico erguer-se-ia parece estar sendo cumprida! Na reprodução do globo terrestre, acima, exatamente na região onde presumivelmente estaria situada parte da submersa Atlântida, os cientistas da Universidade de Cardiff detectaram uma "fratura exposta" de causas desconhecidas na área entre o Caribe e Cabo Verde, um estranho fenômeno abrangendo uma área de milhares de quilômetros quadrados pelo qual o fundo marinho, onde aliás existem altas cadeias montanhosas, não se acha recoberto pela crosta terrestre a uma profundidade de mais de 3 quilômetros! Em 2007 será desenvolvida uma missão pelo navio James Cook, de modo aos pesquisadores poderem amostrar diretamente o manto da Terra, algo que nunca foi possível fazer. Esse grupo de cientistas vai se utilizar de sofisticados sonares para capturar imagens do fundo oceânico, como também empregará robôs submergíveis. Pode ser, então, que muitas surpresas venham a acontecer e muitos mistérios sejam desvelados.


Os céticos e até mesmo alguns cientistas costumam ridicularizar tudo aquilo que desconhecem, sem atentarem para o fato de que a antigüidade do nosso planeta possa ter, de fato, permitido abrigar civilizações muito mais antigas e possivelmente muito mais avançadas e evoluídas do que a nossa. Em épocas muito recuadas pequenos meteoros e asteróides, uma ameaça sempre presente no espaço sideral, atingiram a Terra, causando grande devastação. Por sinal, as marcas desses impactos estão presentes em vários lugares. E eles mesmos reconhecem que a extinção dos grandes sáuros pré-históricos se deveu a um desses impactos que chegou a destruiu toda a vida no planeta. E, por que não, o fim do Continente Atlante não poderia ter sido sido causado pelo impacto de um desses traiçoeiros e mortíferos objetos celestes, causando assim a sua inevitável submersão nas profundezas do Atlântico?


Por falar nisso, e nesse particular, até hoje temos tido uma imensa sorte. Acima você vê a foto de Júpiter, o gigante do nosso Sistema solar. E será que você sabia que esse planeta é um verdadeiro anteparo, uma espécie de escudo que defende a Terra dos meteoros e dos asteróides erráticos que vagam traiçoeiramente aos milhares pelo espaço? Se não fosse pela benfazeja presença de Júpiter, o qual recebe diretamente todos esses impactos, a Terra já não teria existido há muito tempo. Porém, os Cientistas e Astrônomos constantemente o monitoram e SABEM (mas evitam divulgar) que um dia qualquer um desses mortíferos bólides conseguirá passar ao largo do planeta gigante e inevitavelmente virá a atingir o nosso mundo. É apenas e tão-somente, dizem eles, uma simples questão de tempo! E se isso vier a ocorrer, não mais um simples continente, mas TODA A NOSSA CIVILIZAÇÃO SERÁ EXTINTA DE UM SÓ GOLPE. A própria Terra poderá ser tornar um vasto deserto, morto e calcinado! Hoje, ao contrário da remota antigüidade, temos quase toda a superfície terrestre habitada e recoberta por cidades. Uma devastação nesse sentido seria o golpe mortal na nossa espécie, bem como em todas as conquistas que ela efetuou por durante toda a sua trajetória no cenário da Terra. Milhares de anos da NOSSA assim chamada civilização seriam varridos, possivelmente a Terra se tornando um deserto árido e desolado assim como hoje é Marte. Por conseguinte, outras humanidades, quaisquer que sejam elas e que um dia eventualmente poderão vir a nos suceder, talvez nem mesmo saibam que um dia NÓS existimos no seu mais remoto passado. Mas as evidências sempre permanecerão e, quem sabe, em um distante futuro, alguém ouça relatos estranhos considerados "lendas" e então descubra certas pistas que falem sobre "Impérios do Norte", "Impérios do Leste"; se depare com siglas indistintas como EUA e URSS; descubra esparsos registros a respeito de antigas e evoluídas civilizações do remoto passado, as quais voavam através dos céus; edificavam portentosas construções; chegando até mesmo a atingir o espaço sideral nas suas naves? Toda a História é cíclica e, portanto, sempre se repete. Assim, não se pode negar aquilo que ainda nos é desconhecido, uma vez que um silêncio muito eloqüente, como se fora uma solene advertência, continua todavia a nos acenar através do seu apelo dramático e profundamente patético, lembrando assim aos espíritos mais lúcidos e racionais que toda a glória, todo o poder, todas as moradas temporais, são, de fato, passageiros, ilusórios, verdadeiramente breves, forçosa e inelutavelmente efêmeros.







O que Sabemos não é tudo que Existe - Parte 231 TUDO ALTAMENTE CONVERGENTE!



"A lâmpada do corpo é o olho. Se, pois, teu olho for singelo, todo o teu corpo será luminoso; mas, se teu olho for iníquo, todo o teu corpo será escuro. 

Se, na realidade, a luz que está em ti é a escuridão, quão grande é essa escuridão" (Jesus Cristo, em Mateus, Cap. 6, Vs. 22)






Imensamente sábias as palavras daquele que foi O Maior de Todos os Mestres! De fato, todo o "olho" que enxerga mais longe deveria compartilhar as suas visões com os seus semelhantes. Lamentavelmente, porém, não é isso o que costumeiramente acontece, pois aqueles que detêm o poder de enxergar mais longe preferem trabalhar na escuridão do engano e nas sombras das mentiras. Assim sendo, muitas coisas relevantes são ocultadas da humanidade. Esta, por exemplo, é uma imagem do nosso (?) enigmático satélite, a Lua - talvez, e além de Marte, um dos mais misteriosos corpos celestes do nosso pequeno Sistema Solar.


Dizemos isso porque desde as primeiras explorações efetuadas por sobre a sua arenosa e desolada superfície, as surpreendentes imagens mostradas pelas câmeras dos módulos espaciais têm mostrado a insistente presença de estranhas ruínas - ou quem sabe, ainda operantes e ativas instalações pertencentes a uma misteriosa raça alienígena!


Apesar de claramente evidentes, os órgãos espaciais das nossas grandes potências insistem em esconder e negar essa realidade, muito embora SAIBAM que "alguém" chegou primeiro na Lua e que muito possivelmente essa raça alienígena ainda esteja por lá efetuando trabalhos que possivelmente sejam destinados às atividades de mineração!


O certo é que seja lá qual for essa misteriosa raça alienígena, ela está bem estabelecida e dispõe de instalações que lembram BASES, espalhadas por quase toda a superfície lunar.


Curiosamente, e apesar de negarem, esses órgãos espaciais fotografam e exploram com grande interesse certas edificações não convencionais que ostensivamente sobressaem na aridez do solo da Lua. Há por lá, inegavelmente, torres, obeliscos, pirâmides, antenas e muitas outras coisas bem interessantes por lá. Sem contar, é claro, a também muito ostensiva e insistente presença de naves alienígenas que constantemente o sobrevoam, além da presença de estranhas máquinas se locomovendo na sua superfície!


E para esconder do grande público essa chocante realidade, os nossos órgãos espaciais não hesitam mesmo em usar artifícios de edição de imagem para obliterar e mascarar certas coisas muito embaraçosas espalhadas pelo solo do nosso satélite. Coisas que poderiam revolucionar todo o conhecimento humano, além de causar uma completa revolução mental, cultural e religiosa no seio da nossa humanidade.


Como, por exemplo, essa outra imagem na qual dois imensos obeliscos lunares foram literalmente manipulados de modo a se confundirem com a paisagem, escondendo assim dos olhos menos atentos a sua existência. Logicamente, entra aí um outro poderoso fator: exploração espacial implica em tecnologia. E a realização de obras e de instalações em outros corpos celestes implica em uma outra nuance da tecnologia ainda mais evoluída. Evidentemente, o fato de reconhecer que existem outras raças pensantes no Universo, talvez muitos milhares de anos à sua própria frente, o tornaria enfraquecido diante de toda a população mundial, a qual passaria a questionar se você, de fato, é tão poderoso quanto propala. Além disso, os interesses religiosos também falam mais alto nesse particular. Não convém revelar ao público o que o público não deve saber.


Porém, por mais que os pontífices da contraverdade se esforcem, nada pode mesmo ficar oculto por durante muito tempo! Nas fotos da NASA, da esquerda para a direita, Neil Armstrong e Buzz Aldrin, como se sabe os primeiros homens a caminharem na superfície da Lua durante a Missão Apollo-11, levada a efeito na memorável data de 21 de julho de 1969.


O local desse pouso foi o Mar da Tranqüilidade, visto na foto na região inferior. Foi uma área alternativamente escolhida, uma vez que a região onde deveria ser originalmente efetuado o pouso estava "ocupado" na borda da cratera por inúmeros UFOS, o que levou Armstrong, o Comandante da Missão, a optar pela alternativa do Mar da Tranqüilidade - o que, SOMENTE AGORA SE SABE, não foi uma mera casualidade pois certas fotos anteriormente tomadas pelos antigos módulos exploratórios sobre aquele local já indicavam que por lá havia uma certa coisa muito, MUITO INTERESSANTE!


Onde, aliás, através de uma visão mais aproximada, poderemos constatar que há, de fato, coisas bem estranhas por lá. Uma delas, todavia, bem mais notável:


EXATAMENTE ISTO! E precisamente o que você agora vai ver são os frames de um filme tomado em 21 de julho de 1969 pelos astronautas Armstrong e Aldrin no Mar da Tranqüilidade. Trata-se de um dos maiores e mais bem guardados segredos da NASA, uma película altamente censurada e PROIBIDA que somente agora transpirou, a qual, certamente, se constitui em um dos mais chocantes e mais reveladores episódios de toda a exploração espacial.


Aqui, Armstrong começa a explorar a entrada da estranha edificação.


Já lá dentro, começam a surgir as primeiras surpresas!


Não resta a menor dúvida: trata-se de uma edificação erigida por SERES INTELIGENTES!


Aqui, detalhes da estrutura interna do enorme complexo arquitetônico lunar!


Onde podem ser claramente vistas as suas estranhas, e além de tudo enormes, colunas de sustentação!


Nessa outra imagem, mais detalhes arquitetônicos do misterioso complexo lunar.


Mais enormes colunas de sustentação! Certamente um "prato cheio" para o céticos, os quais certamente logo dirão que isso se assemelha em muito com os padrões da Engenharia terrestre e, como sempre acontece, irão rotular tal filme como "montagem". Evidentemente, em qualquer obra de Engenharia - seja lá de que origem e natureza for - qualquer tipo de estrutura forçosamente implicará na necessidade de sustentação. E a coluna é o elemento indispensável para tal finalidade - tanto aqui quanto em Marte, na Lua, ou em qualquer corpo celeste habitado por criaturas inteligentes.


Além disso, um grande complexo de túneis e longos corredores guarnecia toda aquela estrutura, denotando assim um fantástico trabalho no qual uma grande tecnologia fora empregada!


Aqui, um detalhe das inúmeras passagens de comunicação entre os grandes salões.


Mais detalhes da complexidade dessa estrutura. Ao fundo, vemos o astronauta perto daquilo que parece ser uma escadaria.


Uma visão mais aproximada daquele exótico ambiente.


Um detalhe que evidentemente chamou a atenção de Armstrong....


..... E aqui, uma visão mais aproximada da tal elevação que lembra uma escada.


Nessa imagem, vemos a sobreposição de enormes lages. E pelo reduzido tamanho da altura do teto - o que chamamos na nossa Engenharia de "pé-direito" - podemos depreender que esse complexo era gerido por seres dotados de pequena estatura!


Mais detalhes laterais daquela curiosa estrutura.


Ao fundo, uma outra escada que conduzia a um nível superior do enorme complexo.


Nessa outra imagem, vemos janelas laterais que guarneciam todo a extensão do exterior da edificação.


Nessa cena, Armstrong coleta materiais para análises. Não se sabe exatamente o que foi recolhido pois, claro, o sigilo total tomou conta de tudo.


O espantoso filme, que tem a duração de 14 minutos, igualmente termina com a imagem de Armstrong recolhendo esses materiais espalhados pelo enigmático complexo. Logo após os dois astronautas trataram de sair do local.


Porém, na sua parte final, a película igualmente nos mostra uma espécie de levantamento esquemático daquela estranha estrutura, dotada de uma imensa porta principal.....


Sua extensão foi avaliada em 60 metros de comprimento, por muros laterais dotados de 9 metros de altura! Em síntese, uma estrutura de grande porte.


Além disso, essa estranha estrutura, aparentemente em ruínas, era toda cercada por visores - ou janelas - laterais, simetricamente postadas em toda a sua extensão.


Podia até ser que tal inusitada instalação lunar estivesse mesmo em ruínas. Porém, uma das partes mais intrigantes desse filme é justamente representada pelo astronauta Aldrin, que operava câmera, na ocasião em que teve a sua atenção despertada para uma dessas janelas laterais daquele complexo, quando até mesmo usou o recurso de zoomda máquina para captar a imagem dessa bizarra figura que parecia, ao que tudo indica do exterior, espreitar a cena! Tudo se encaixa. Lembremos, por oportuno, que muitos anos depois do primeiro pouso no nosso satélite, Armstrong, quando perguntado por um jornalista sobre a razão de a NASA ter interrompido as suas missões à Lua, simplesmente limitou-se a reponder: - "Fomos postos para fora de lá"!


Faz sentido, não somente pela ostensiva presença dos UFOs na Lua, como também pela grande quantidade de instalações alienígenas lá estabelecidas. E a conclusão a que os cientistas da NASA teriam chegado é que esse complexo destinava-se a uma espécie de HANGAR. E a análise do material nele empregado revelou que fora elaborado com materiais e elementos presentes no PRÓPRIO SOLO LUNAR! Enfim, um imponente e além de tudo fantástico trabalho da mais pura Engenharia. Mas QUAL Engenharia, e QUEM exatamente a praticara?


Porém, a óbvia e principal conclusão - que, por sinal, qualquer criança do Jardim de Infância poderia igualmente chegar sem maiores esforços - foi que se tratava de uma "OBRA DE ENGENHARIA EFETUADA POR SERES NÃO HUMANOS", "possivelmente há MUITOS MILHARES DE ANOS ATRÁS", em razão dos desgastes apresentados na sua estrutura, como também dos resultados das análises efetuadas nos diversos materiais lá recolhidos!!!


Há muitos milhares de anos atrás? Sem dúvida! Agora, SIM, começamos a entender a razão do ex-astronauta Neil Armstrong, precisamente em 1976, isto é, muitos anos depois do primeiro pouso na Lua, ter feito uma estranha visita ao complexo de grutas de Los Tayos (fotos), situado a 800 metros de altitude na Cordilheira do Condor, precisamente na Amazônia Equatoriana junto à fronteira com o Peru, nas coordenadas 77º 47' 34" Oeste 1º 56' 00 Sul, onde uma antiga e desconhecida civilização deixou as marcas da sua passagem nos interiores de profundas cavernas misteriosamente escavadas na rocha bruta. Armstrong Fazia parte de uma expedição composta por centenas de cientistas e militares estrangeiros que por durante um mês e meio - e dotados dos mais avançados equipamentos - sob o estranho pretexto de efetuar pesquisas botânicas e geológicas vasculharam avidamente todo o imenso complexo estrutural daquelas grutas.


E por que exatamente Armstrong fazia parte daquela expedição? Algo que não se torna muito difícil de adivinhar: primeiramente porque o objetivo verdadeiro dessa missão estrangeira dizia respeito a algo que NÃO ERA DESTE PLANETA, e Armstrong fora, de certa forma, bem versado nisso uma vez que cansara de ver UFOs no espaço sideral e até na própria Lua. Em segundo lugar, Ele, precisamente em 21 de julho de 1969, como teve a oportunidade de ter visitado ALGO DE NATUREZA ARQUITETÔNICA MUITO SEMELHANTE EM PLENO SOLO DA LUA, evidentemente viera para constatar essas possíveis semelhanças!!! E (muito sutil), após passar três dias no interior do complexo de Los Tayos, enfaticamente declarou que "a experiência ali vivida havia superado tudo aquilo que vivera na Lua"!


Tudo altamente convergente! O complexo maravilhoso de Los Tayos é um bizarro local que tem sido desde muito explorado, como, por exemplo, nessa outra antiga expedição do cientista e arqueólogo Jean Moricz, realizada em 1969, o qual veio a falecer no ano de 1991 sem contudo revelar o segredo que guardava sobre Los Tayos justamente porque considerava que os tempos ainda não estavam de todo maduros para isso! Deve-se a Moricz a descoberta, exatamente nesse gigantesco complexo, de inúmeros e valiosos objetos de imenso valor cultural e histórico para a humanidade, representados por uma profusão de lâminas metálicas, gravadas com ideografias, desenhos e misteriosas inscrições, uma verdadeira biblioteca que continha os registros históricos de uma civilização muito antiga e desconhecida a qual, em tempos muito remotos - há cerca de 250 mil anos - esteve presente no nosso planeta, isso além de inúmeras portas seladas, estátuas zoomórficas e humanas! Uma civilização que muito possivelmente chegara do espaço sideral, ou então vivera na Terra, sendo de tal modo avançada que possuía meios para viajar pelos confins do Universo!








Total de visualizações de página

Página FaceBook